quarta-feira, 20 de março de 2013

ÚLTIMO POEMA



Neste momento, meu desafio

É escrever meu último poema,

Para encerrar a ingente porfia

... De ousar ser um poeta tardio.

Uma perfeita obra prima...

Algo que falasse a verdade;

Que ficasse para a posteridade

Como uma sagrada mensagem.

Assuntos mil vieram à mente:

Amor, vida, paixão, esperança;

Felicidade, estética, temperança;

Partida, chegada, saudade...


Algo que provocasse lágrimas,

Que despertasse recordações;

Que tocasse as alma e os corações

Pela doçura de suas palavras.


Então, me lembrei do caminho de Emaús;

Do amigo e companheiro, Cristo Jesus,

Que cura a solidão, traz paz ao coração,

E a todos outorga vera e eternal salvação.

Campinas, Outono de 2013

Um comentário:

  1. Estou alegre por encontrar blogs como o seu, ao ler algumas coisas,
    reparei que tem aqui um bom blog, feito com carinho,
    Posso dizer que gostei do que li e desde já quero dar-lhe os parabéns,
    decerto que virei aqui mais vezes.
    Sou António Batalha.
    Que lhe deseja muitas felicidade e saúde em toda a sua casa.
    PS.Se desejar visite O Peregrino E Servo, e se o desejar
    siga, mas só se gostar, eu vou retribuir seguindo também o seu.
    http://peregrinoeservoantoniobatalha.blogspot.pt/

    ResponderExcluir